O Bem-Amado

O Bem-amado foi a primeira produção da teledramaturgia brasileira a ser gravada a cores. De autoria do dramaturgo Dias Gomes, que a adaptou de sua própria peça teatral, intitulada Odorico, o Bem-Amado ou Os Mistérios do Amor e da Morte, de 1962, ela foi exibida pela Rede Globo de 24 de janeiro a 9 de outubro de 1973, sob a direção de Régis Cardoso e a coordenação de Daniel Filho.
Continuar lendo

Protagonista e Antagonista

Considerados personagens fundamentais na maioria dos fatos, protagonista e antagonista são antônimos na linguagem teatral, literária, novelística, cinematográfica e entre os mais variados gêneros onde se possam encaixar personagens. O primeiro é o que possui papel de destaque na trama, ou seja, é o ícone principal do enredo em questão. O segundo também se destaca na obra, mas nem sempre é um ser humano, pode ser um obstáculo na vida do protagonista em forma de gente, animal, circunstâncias, entre outros.
Continuar lendo

Ilusionismo

Na definição do Grande Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, ilusionismo é arte de criar ilusão por meio de artifícios e truques; prestidigitação. Esta arte cênica é utilizada para entreter as pessoas, criando ilusões que as levam a ficar confusas e se surpreender com manobras inesperadas. Normalmente, quem executa este tipo de espetáculo é um mágico ou ilusionista, que é tido pelo público como uma pessoa com poderes fora do comum. Entretanto, todos os truques são planejados minuciosamente antes de cada apresentação, são feitos com meios naturais e praticados pelo ilusionista e uma equipe de ajudantes, muitas vezes infiltrados na própria plateia.
Continuar lendo